Quimere – Entrevista com Thiago Modesto (Vocal e Baixo) da banda

Vitor Assan, Thiago Modesto e Thaís Amaral

A banda paulistana Quimere acaba de lançar seu primeiro EP. Entrevistamos o vocalista e baixista do trio (Thiago Modesto), que nos recebeu de braços abertos e deu total atenção a todas as perguntas.

A banda tem uma sonoridade ousada e letras fortes, com críticas políticas e sociais. O EP da banda já está disponível nas principais plataformas digitais e você pode ouvi-lo na íntegra no final da entrevista.

Neste bate papo o Thiago nos conta como foi o processo de produção do EP, explica a proposta sonora da banda e fala também sobre as dificuldades da banda na cena undergound, como lugares para tocar e até cachê, com muita clareza, humildade e sinceridade.

Confira a entrevista

Olá Thiago! Parabéns pelo EP e obrigado por topar a entrevista. Gostaria de saber sobre o processo de produção do EP. Quanto tempo levou, onde gravaram, conte um pouco sobre esta etapa.

Thiago ModestoR: Olá Lucas, obrigado pelo elogio e olá a todos que acompanham o Under Miusic!  Então, começamos a idealizar o EP no segundo semestre de 2015, nos reunimos com algumas letras do meu caderninho, uns riffs que o Vitor tinha em mente e demos inicio as composições. Ficamos um ano quase que exato para encerrar as gravações, foi só em dezembro de 2016 que encerramos os vocais e a masterização.

Quem ouve agora finalizado pode não acreditar mas gravamos e mixamos tudo isso com o equipamento que tínhamos a disposição no apartamento do Vitor na Pompéia.

Assim que ouvi o EP, de cara fui impactado com o refrão de “Marionetes” que diz: “Solitário pescador, em areia se afogou. Suas terras sem valor, esperando um redentor”. Cara, parabéns! Belíssima letra, sonoridade pesada também, sem dúvida é a música mais pesada do EP em todos os aspectos. Fale um pouco sobre a mensagem da música e como foi o processo de composição.

R: Pô, muito obrigado mesmo, pessoalmente é minha música preferida desse EP. Lembro que essa música foi composta meio que sem querer.

Um dia estávamos compondo,  já devia ser por volta de umas 3 horas da manhã e estávamos exaustos. Então comecei a imaginar o riff principal da música na cabeça, quase que do nada, virei para o Vitor e falei “cara, tenho uma ideia” e cantarolei o ritmo da música. De cara ele não estava muito animado por causa do cansaço mas bastou começarmos a compor que já tínhamos certeza que essa seria a música mais original da banda. Acho que em sã consciência ninguém misturaria baterias de bossa nova com metal pesado hahahah.

A letra em si eu escrevi depois, é basicamente uma mescla de sentimentos sobre a sociedade. Na época a televisão só mostrava a imigração em massa do Oriente Médio para Europa e a crise do ISIS, tudo isso acabou influenciando muito.

Thiago, hoje a banda Quimere está ai, firme e forte, iniciando 2017 com tudo. Porém não foi “ontem” que tudo começou. Há quanto tempo você vem galgando um espaço na cena underground do rock?

R: Bom, desde 2011 eu e o Vitor fomos membros juntos de umas 2 ou 3 bandas antes da Quimere surgir, a que mais teve visibilidade ainda que pouca foi a Dynastia. Mas desde essa época queríamos algo maior, algo original.

Quando a Dynastia se desmanchou de vez, no final de 2014, decidimos que iríamos continuar por conta própria, mas não sabíamos por onde começar.  Logo foi um longo processo desde o plano e formato da banda, nome e tudo mais.

No começo de 2016 conheci a Thaís pela internet e chamamos ela pra ensaiar com a banda, acho que como o som rolou legal de cara em menos de um mês ela já estava oficialmente com a gente.

A Banda Quimere não visa se prender a um gênero ou estilo específico, isso fica claro em todas as músicas. Porém mesmo passeando por vários estilos nas músicas, o estilo que predomina é o rock, com uma inclinação maior para um metal alternativo. Quais são as bandas que servem de referência para o trio?

R: Sim, apesar de mesclarmos estilos como Bossa Nova, MPB, Jazz, Reggae, rock dos anos 70 e até o metal dos anos 80 nos enquadramos em Metal Alternativo apesar de não rotularmos a banda.

Nossas maiores influências são com certeza Rammstein e System of a Down. O Rammstein é uma banda de sucesso e carreira internacional e mesmo assim cantam na língua mãe deles, o alemão, isso nos influenciou muito a compor em português. Já o System nos mostrou que é possível mesclar estilos totalmente diferentes e ainda fazer música boa e pesada, na discografia deles da pra encontrar facilmente músicas com levadas da música tradicional da Armênia, Raggae, Punk, Jazz, isso ampliou muito nossos horizontes. A visão política de ambas é bem próxima da nossa.

Thiago, quais são as maiores dificuldades que a Quimere tem encontrado hoje, na cena underground? É lugar para tocar, estrutura, contratantes? Fale um pouco sobre esta “realidade” que toda banda independente passa. E o que pode ser feito pra melhor?

R: Acredito que o cachê e a dificuldade do público em aceitar bandas novas, ainda mais quando cantam em português. Antes da Quimere já chegamos a tocar praticamente de graça mais de uma vez ou receber como cachê um lanche com refri, enquanto músicos de outros estilos ganham no mínimo 300 reais tocando nesses mesmos lugares.

Quanto ao público, existem muita gente mais tr00 que acredita que o heavy metal morreu com os anos 80 e tem dificuldade de aceitar qualquer banda nova, enquanto tem muitos talentos a serem descobertos por ai. Acho que todos que tem consciência que temos músicos e bandas de qualidade sem oportunidade, deveriam comparecer aos shows e apoiar a cena nacional.

Defina o EP da Quimere em uma frase. 

R: Um verdadeiro EP de MPB: Música Pesada Brasileira.

Muito bom rsrs! Thiago muito obrigado pela atenção e humildade, e sucesso com o projeto. E para finalizar o espaço é seu! Gostaria de mandar uma mensagem para os fãs da banda?

R: Queria agradecer a você Lucas e o Under Miusic por nos receberem tão bem e abrirem espaço para a gente e outros músicos da cena underground, e que o site cresça cada vez mais! E para todos que acompanham a banda fiquem ligados que esse ano está cheio de novidades.

Links da banda

Site: quimere.com

Facebook: facebook.com/quimereoficial

Siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro das atualizações e de um play no EP da banda que esta muito bem produzido e trabalhado.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Comment
Name*
Mail*
Website*